Transplante Capilar - Pós-Operatório

A área transplantada fica mais evidente que a cicatriz.
Transplante Capilar, cuidados pós-operatórios

O paciente sai da clínica cerca de 1 hora após o fim da cirurgia, podendo exercer as atividades normais do dia-a-dia.

A cicatriz na área doadora estará imperceptível, mesmo com os cabelos molhados, porém a área receptora apresentará inúmeras microferidas, muito pequenas e puntiformes como uma pontada de agulha.

No dia seguinte à cirurgia o paciente vai à clínica, onde há uma sala preparada para a retirada do curativo (quando este é necessário) e lavagem do cabelo.

Lavagem do cabelo
Após a cirurgia de transplante capilar

É importante este primeiro retorno, pois o paciente verá a forma correta de lavar o cabelo sem prejudicar o transplante e perderá o medo natural que existe após a cirurgia.

Se tiver sido necessário curativo na cirurgia, é importante que seja retirado na clínica para evitar que alguns fios sejam retirados junto com o mesmo.

Retirada dos pontos
Pelo menos 15 dias após a cirurgia

Os pontos internos são feitos com fios absorvíveis e na pele do couro cabeludo são feitos com um fio de mononylon bem fino. Esta sutura externa é retirada na clínica por volta do 15º dia de pós operatório (não há problema em se retirar alguns dias antes ou depois).

Para casos selecionados ou pacientes que moram em outras cidades/estados/países, a sutura externa pode ser realizada com fios absorvíveis que não necessitam serem retirados.

Orientações gerais
O paciente deve seguir as instruções até a retirada dos pontos

  • Repouso relativo;
  • Não dirigir por dois dias;
  • Evitar baixar a cabeça; Deitar-se com a cabeça elevada por três dias. Utilizar um triângulo ou dois travesseiros;
  • Lavar diariamente o couro cabeludo com o shampoo de pós-operatório prescrito, conforme orientação na Clínica;
  • Deixar as crostas da área implantada caírem naturalmente (quando as crostas começarem a cair, é normal que o cabelo caia junto, porém a raiz permanece implantada);
  • É permitido usar boné (sem apertar a cabeça);
  • Não fumar por pelo menos 1 mês. O tabagismo promove constricção dos vasos sanguíneos, diminuindo assim o fluxo de sangue para a área implantada;
  • Evitar a prática de esportes, atividade física que aumente a sudorese, água de praia e piscina; sol forte ou calor excessivo no couro cabeludo por 1 mês. A prática de esportes requer uma maior de manda de oxigênio para os músculos em exercícios, com isso desviando o fluxo sanguíneo para eles. Este desvio pode diminuir o afluxo de sangue para o couro cabeludo, pois o organismo entende que esta região torna-se “menos necessitada” naquele momento;
  • Evitar bebida alcoólica por 1 semana, pois pode haver alguma interação com as medicações prescritas;
  • Evitar comer crustáceos, mariscos e carne de porco por 1 mês, pois alguns alimentos podem desencadear reações alérgicas, especialmente no período pós-operatório;
  • Evitar usar tinturas na área implantada por 3 meses. Antes disso (com 45 dias) o paciente que desejar pode tingir com cuidado a área doadora;
  • Retornar à clínica no dia seguinte para retirada do curativo e para lavar o cabelo (ligar para agendar);
  • É normal sentir por 2 a 3 dias um leve dolorimento na região da área doadora que cede com a analgésicos simples (já prescritos), e dormência na parte posterior da cabeça, próximo à área doadora por algumas semanas;
  • Em 40% dos pacientes pode haver edema (inchaço) na região da testa e das pálpebras. Este edema ocorre por migração do anestésico local que foi utilizado na cirurgia e que, por gravidade, pode descer para a região dos olhos. Quando ocorre, torna-se mais intenso no 3º dia e regride espontaneamente até o 6º dia. Não é necessária nenhuma medicação, porém massagens na região da testa indo do centro para a frente das orelhas podem ser benéficas. Deixar as crostas da área implantada caírem naturalmente (quando as crostas começarem a cair, é normal que o cabelo caia junto, porém a raiz permanece implantada).
Saiba mais sobre os resultados do transplante