Transplante Capilar - Área Doadora

A área doadora é fundamental para a cirurgia de transplante capilar, uma vez que os fios da parte posterior e lateral da cabeça são imunes à queda.

Essa região é a que doará os fios a serem transplantados para a área receptora calva. Como não possuem o código genético para a calvície, os fios transplantados da área doadora para a área calva, nunca mais cairão.

Como todo resultado está baseado na qualidade e quantidade da área doadora, é importante realizar essa análise de forma minuciosa.

A área doadora varia em característica entre os pacientes. Com relação à qualidade dos fios, os mesmos podem ser finos, espessos, lisos, encaracolados, grisalhos.

De uma maneira geral, os fios mais finos dão menos densidades à área calva quando transplantados que os fios grossos. O mesmo acontece com os fios encaracolados, que dão uma sensação de densidade maior, por se interporem uns aos outros, que os fios lisos.

Em resumo, o transplante de um mesmo número de fios pode levar a resultados diferentes de acordo com o tipo de fio do paciente. Embora isso seja observado em relação à densidade, a naturalidade pode ser obtida em todos os tipos de fios.

A densidade, ou seja, o número de fios por centímetro quadrado, também é um importante fator no transplante capilar. Quanto maior a densidade, maior o número de fios que podem ser obtidos para o transplante.

A densidade pode ser aferida no pré-operatório por uma medida chamada densitometria. Um aparelho permite a visualização com aumento de um centímetro quadrado. A partir daí, obtém-se uma foto e a contagem do número de fios pode ser realizada.

A faixa doadora é retirada por uma incisão que pode ir do pólo superior de uma orelha à outra, passando pela parte de trás da cabeça.

Essa extensão pode, em alguns casos, passar dos 30 centímetros. A largura desta faixa varia de um a dois centímetros a depender da elasticidade do couro cabeludo no local.

Os fios desta área podem ser raspados e implantados bem curtos ou podem ser transplantados já longos, como na técnica de preview long hair.

Após a retirada, a área doadora é fechada com pontos, ou seja, as bordas da incisão são unidas e não fica nenhum espaço sem cabelos nesta área. Os pontos são cobertos pelos cabelos remanescentes.

Logo após a cirurgia não haverá nenhuma falha perceptível, pois a região onde os cabelos foram cortados será camuflada pelos fios mais longos.

Assim que a sutura da área doadora é finalizada, a cicatriz já é imperceptível, pois estará camuflada pelos cabelos.

Cuidados com a área doadora
Para que sua retirada ocorra sem problemas

  • Evitar problemas de cicatrização, normalmente associados com retiradas inadequadas;
  • Calcular a área correta para evitar retirar mais que o necessário, causando um desperdício de fios;
  • Fechar com uma sutura delicada e adequada que não danifique os folículos remanescentes;
  • Encontrar saídas para áreas que estão prejudicadas por cirurgias anteriores;
  • Identificar doenças que prejudiquem uma doação.
Saiba mais sobre Unidades Foliculares