Calvície Feminina - Tratamentos

Uma vez feito o diagnóstico, há 3 possibilidades de tratamento, de acordo com a indicação do médico especialista. O clínico, o cirúrgico, ou a associação de ambos.

Tratamento clínico
Existem hoje inúmeras terapias clínicas, com medicamentos tópicos, estimulação do couro cabeludo e mais recentemente laserterapia.

O tratamento clínico consiste no uso contínuo de loções capilares, cápsulas de vitaminas específicas, medicamentos anti-hormônios masculinos (quando necessário); shampoo fortificante, e mais recentemente, o Laser de Baixa Potência (Low Level Laser) e os LED (Light Emitting Diodes) red e infra-red

É importante deixar claro que se a causa for genética, nenhum tratamento clínico trará seus fios de volta, mas retardará muito a evolução de sua calvície. Em alguns casos, ocorre um engrossamento dos fios, dando uma impressão de que cresceu cabelo.

Tratamentos clínicos
Os métodos e medicamentos mais comuns para tratamento são:

  • Minoxidil: Age melhorando a circulação local e conseqüentemente retardando a queda do cabelo . Isoladamente os resultados são limitados, mas associado com outros tratamentos podem ser obtidos bons resultados.
  • Finasterida: age bloqueando a ação do dht no bulbo capilar e retardando a calvície. Tem maior efeito e eficácia em homens e nunca deve ser utilizado via oral nas mulheres, apenas tópico e com acompanhamento médico.
  • Lasecomb: última tecnologia em termos de tratamento clínico. Estimula a circulação local, retardando a queda e aumentando e espessura dos fios que estavam em processo de calvície.


Tratamento cirúrgico
A solução definitiva para os casos de rarefação capilar importante é a cirurgia de microtransplante capilar.

O tratamento cirúrgico é o transplante folicular. Para que haja indicação deste tratamento, que é definitivo, é necessário que os cabelos da área posterior da cabeça sejam de boa qualidade, pois esta é a região doadora de cabelos para o transplante.

Nos casos femininos de calvície mais avançada, a quantidade de fios doadores é insuficiente para se cobrir toda a área rarefeita. Por isso é importante se estabelecer uma área prioritária para a colocação das unidades foliculares, de acordo com o estilo de penteado de cada paciente. Assim sendo, se consegue um efeito de camuflagem das outras áreas, quando os fios se sobrepõem. Mais de uma cirurgia pode ser realizada se houver necessidade de mais densidade.

Tratamentos cirúrgicos
As principais indicações para o tratamento cirúrgico são:

  • Calvícies mais avançadas (graus II e III): mas sempre concomitante com o tratamento clínico para “frear” a evolução da queda, ou seja, o transplante se encarregará de aumentar o volume capilar e o tratamento clínico de estabilizar a queda.
  • Correção seqüelas cicatriciais: queimaduras, cirurgias estéticas faciais, radioterapias, etc.

Mesmo realizando o tratamento cirúrgico, é fundamental que a paciente faça um tratamento clínico pós-operatório para melhorar e prolongar o resultado estético obtido após a cirurgia. Caso não haja um acompanhamento clínico, a tendência é que os fios não transplantados tendem a sofrer o processo da calvície e, com o passar dos anos, a paciente volte a apresentar uma rarefação capilar.

Conheça as causas da calvície femínina